Curso Básico de Tratamento de Efluentes Líquidos

Economia Circular

Segurança Química

SEMINÁRIO TRABALHO E PREVENÇÃO

  • SEMINÁRIO TRABALHO E PREVENÇÃO – Fundacentro / MTE
    Ocorrido 27 julho 2016 com a presença de inúmeros sindicatos, no DIA NACIONAL DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO, com a Fundacentro comemorando 50 anos. Dentre as instituições presentes Academia Brasileira de Enga. de Segurança e Instituto Brasileiro de Saúde Ocupacional. Sindicato dos Químicos presente.

Núcleo de Economia Circular – NEC-UFRJ

Já imaginou um modelo circular de produção, no qual os materiais retornam ao ciclo produtivo ao invés de serem descartados como lixo? Este é o propósito da Economia Circular, que, por meio da logística reversa, atinge o ciclo fechado de produção, através da reutilização, recuperação e reciclagem de materiais. O assunto ainda é novo no país, mas já virou um dos temas estratégicos do Parque Tecnológico da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Em parceria com a Exchange4Change, empresa que busca adaptar os conceitos globais à realidade brasileira, e com apoio do consulado holandês – país de referência no tema, o Parque Tecnológico da UFRJ lançou na terça-feira, 31 de maio de 2016, o Núcleo de Economia Circular (NEC – UFRJ). No lançamento, empresas como a Radix, Engenharia e Software, estiveram presentes e oferecem apoio ao novo projeto.

“A ideia do NEC surgiu do encontro do representante da UFRJ na Comissão Nacional de Segurança Química (Conasq/MMA), Newton Richa, médico formado na UFRJ com Beatriz Luz, engenheira formada na Escola de Química também da universidade e com mestrado na Inglaterra. A união dos dois na condução deste projeto possibilitará que o Parque Tecnológico da universidade seja um laboratório vivo para a sustentabilidade”, destacou o diretor executivo do Parque Tecnológico da UFRJ, José Carlos Pinto.

O trabalho inicial terá duração de um ano e o grupo de estudantes, professores e especialistas que fazem parte do NEC terá como missão discutir os conceitos da Economia Circular e adaptá-los à realidade brasileira. Já o Parque Tecnológico estará apoiando e acompanhando as atividades do NEC, visando trazer o tema para discussão no âmbito das empresas que fazem parte do Parque e, desta forma, se tornar referência no país.

“A Economia circular traz novas formas de produzir, consumir e se relacionar. São novos modelos de negócio que promovem um crescimento desconectado da exploração dos recursos naturais. Produtos viram serviços e consumidores, usuários. Uma Economia que se desenvolve com base na geração de valor, indo além da produção e consumo eficiente”, explicou Beatriz Luz, fundadora do Exchange4Change.